REDE MATER DEI DE SAÚDE conta com a Guardicore para proteger ambiente crítico de TI

Com a Plataforma Centra, venceu o desafio de enxergar o tráfego em toda a sua rede – composta por servidores, equipamentos médicos e estações de trabalho – aumentando a disponibilidade e a segurança de seus sistemas e aplicações.

Estudo de Caso Mater Dei

“Um hospital funciona 24 X 7 X 365. Não há janelas de tempo”, lembra o CISO da REDE MATER DEI DE SAÚDE, Ianno Soares. Não há ambiente de TI mais crítico, mesmo porque, como menciona também Ianno, não é possível parar um exame ou uma cirurgia robótica.

Criada em 1980, a REDE MATER DEI DE SAÚDE, na região metropolitana de Belo Horizonte, está entre os 10 melhores do Brasil, entre públicos e privados, e na lista dos melhores hospitais do mundo.

Para proteger a sua rede, o Mater Dei precisava de um sistema capaz de oferecer total visibilidade do tráfego da rede – “mesmo porque não podemos proteger o que não conhecemos”, diz o CISO – e, ao mesmo tempo, assegurar proteção a todo o ambiente de TI, sem interromper o funcionamento normal do hospital.

Considerando os aspectos de transparência da rede e de segurança, o hospital optou pela implementação da plataforma Centra da Guardicore, que, por meio da microssegmentação, oferece total visibilidade do tráfego na rede, blindando com segurança Zero Trust tanto novas aplicações como as legadas.

A equipe de segurança visualiza o tráfego em toda a rede, mostrando “quem fala com quem” – ou seja, as conexões entre as portas dos servidores – para entregar com segurança os recursos de que necessitam as equipes médicas. É essa visibilidade que permite liberar o fluxo entre determinados caminhos apenas quando essa comunicação está prevista e legitimada pelas políticas de segurança adotadas.

Ao invés de tentar combater malwares, a tecnologia utilizada pela Guardicore tem como foco a compreensão e o controle do ambiente e das aplicações, utilizando a microssegmentação para minimizar brechas de segurança e/ou impedir que o ataque se propague em movimentações laterais, explica Fernando Ceolin, diretor-regional da Guardicore para o Brasil e região Sul da América Latina. Caso uma máquina ou aplicação apresente problemas ela pode ser rapidamente isolada, impedindo que infecte outros equipamentos.

Dessa forma, evita-se o ransomware, que se dá exatamente pela propagação do ataque a partir de um só ponto atingido, permitindo o roubo de privilégios de acesso para chegar a informações estratégicas, depois objeto do pedido de resgate.

Fernando Ceolin utiliza uma analogia com a ameaça que a pandemia da Covid 19 representa para a sociedade. Para resolver a pandemia, o melhor seria não tê-la. E se soubéssemos que estaria prestes a acontecer, a solução seria, antes, isolar as pessoas de qualquer possibilidade de contágio.

“A diferença é que controlar o fluxo das pessoas é muito difícil. Mas se estamos falando de máquinas em um data center, elas não discutem, não reagem a isso. A prevenção é mais eficaz, já que na detecção é possível haver falhas”, comenta.

Estudo de Caso Mater Dei

————————————————Ianno Soares e Fernando Ceolin apresentaram o case Mater Dei no evento Security Leaders Sudeste realizado on-line pela Security Report no dia 17/06/21.

 

Assine a nossa newsletter

Sem spam, nós prometemos. Enviaremos apenas insights sobre como reduzir o risco em seu data center e nuvens.

Veja o Centra em ação

Reduza sua superfície de ataque e evite o movimento lateral com uma rápida e simples que funciona em qualquer lugar.